Você sabia?

A língua de uma baleia azul adulta tem aproximadamente a mesma massa de um elefante inteiro.

Cada corpo humano consiste em cerca de 10 quatrilhões de células, mas hospeda cerca de 100 quatrilhões de células bacterianas.

Louis Pasteur ficou tão preocupado com os micróbios que passou a examinar com uma lente de aumento todos os pratos que lhe eram servidos.

Einstein só aprendeu a falar aos 3 anos de idade.

A doença conhecida mais antiga do mundo é a lepra, cujos primeiros registros datam de 1350 a.C.

A cidade mais antiga do Brasil é São Vicente, no litoral paulista.

As impressões digitais formam-se de 6 a 8 semanas antes de o bebê nascer e nunca são iguais.

Misofobia é o medo de sujeira, contaminação.

O cérebro de um adulto pesa, em média, 1,4 quilos, correspondente a 2% do peso do corpo. Mas exige 25% de todo oxigênio que usamos.

Em Cleópatra, 1963, Elizabeth Taylor usou 65 roupas diferentes.

Hoje, ontem, anteontem e trasanteontem.

O discurso de Greer Garson, a Melhor Atriz de 1942, foi o mais longo da história, passou de 1 hora.

Madame Marie Curie foi a primeira pessoa a ganhar dois prêmios Nobel. O primeiro foi ganho em física,1903 e o segundo em química,1911.

Anthony Hopkins, que recebeu o Oscar, não piscou nem uma vez nas suas cenas como Hannibal Lecter, o Cannibal no filme O Silêncio dos Inocentes,1991.

Coca-Cola seria verde se coloração não fosse adicionada ao refrigerante.

Uma pessoa perde em média 40 a 100 fios de cabelo por dia.

85% do cérebro humano é composto de água.

Os porcos não são fisicamente capazes de olhar para o céu.

Um estudo, que abrangeu cerca 200 mil avestruzes durante mais de 80 anos, não registou um único caso em que uma avestruz fosse vista a enfiar a cabeça na areia.

Anatomia interna dos insetos

30 de ago de 2007 0 comentários
Como é um inseto internamente?
Os insetos possuem simetria bilateral e são geralmente alongados. O corpo é segmentado e dividido basicamente em três regiões: cabeça, tórax e abdômen. A função priméria da cabeça é de percepção sensorial, integração neural, e ingestão de comida. O tórax é o tagma locomotor, onde as pernas e as asas estão inseridas. No abdômen ficam as vísceras, incluindo componentes do sistema digestivo, excretor e reprodutor.

Músculos e locomoção
Todos os músculos são estriados esqueléticos, mesmo os que envolvem o tubo digestivo e o coração. Os musculos que se aderem às paredes dos corpos dos insetos movem as várias partes dos insetos, inclusive os apêndices.

Para mover os apêndices geralmente há pares antagônicos de músculos. Algumas partes têm apenas músculo flexor. A extensão dessas estruturas são feitas por movimentos da hemolinfa (que gera pressão) em conjunto com a elasticidade da cutícula.

O tamanho reduzido dos insetos combinado com a quantidade de músculos que eles possuem, garantem parte do seu sucesso permitindo movimentos como andar, saltar distâncias muito maiores do que seu comprimento, carregar pesos mais de 20 vezes maiores do que o seu próprio, voar às vezes distâncias muito longas, localização rápida do parceiro, ou do alimento e nadar.
Para voar, são necessárias muitas contrações musculares por segundo (podendo chegar a 1000). Isso exige uma grande eficiência do metabolismo, devido à grande quantidade de oxigênio.

Vôo - As forças necessárias para o vôo são geradas pelo movimento das asas no ar, que devem-se aos músculos torácicos. Esses músculos podem estar diretamente (mecanismo direto - odonata e baratas) inseridos nas bases das asas, ou podem ainda causar vibrações torácicas que são transmitidas às asas gerando movimentos (mecanismo indireto - d’ptera).

Sistema nervoso e coordenação
O sistema nervoso dos insetos consiste em um cérebro localizado na cabeça, e um cordão nervoso localizado ventralmente, com gânglios em cada segmento. Pode acontecer de o cordão nervoso estar fundido e haver mais segmentos do que gânglios.
As células nervosas se comunicam através das sinapses com ação de neurotransmissores, como a acetilcolina, e os impulsos são transmitidos através de mudanças na carga elétrica nas sinapses. Algumas células são conhecidas como neuroendócrinas, e serão discutidas posteriormente.
As células sensoriais captam estímulos do ambiente e transmitem esses estímulos para o sistema nervoso central. Um interneurônio recebe essa informação e passa para outro neurônio, como os neurônios motores, que transmitem o impulso para os músculos.

Sistema endócrino
Muitos órgãos dos insetos produzem hormônios, a maioria com função de controle nos processos reprodutivos, metamorfose e muda.

Células neurosecretoras: ocorrem em forma de gânglios que localizam-se no sistema nervoso central. São neurônios que produzem um ou mais hormônios com papel no crescimento, metamorfose, reprodução.

Corpora allata: produz hormônio juvenil. Este hormônio tem função de inibir a metamorfose. Está envolvido na vitelogênese, glândulas reprodutivas acessórias, produção de feromônio e comportamento sexual.

Corpora cardiaca: produz ecdisotropina. Tem importância na diferenciação de ovários e glândulas reprodutivas acessórias, e também na oogônese. Glândula protorácica: está envolvida na produção de ecdisônio (hormônio da muda).

Sistema circulatório
O único vaso que os insetos possuem localiza-se dorsalmente, e vai da cabeça até a porção posterior do abdômen, ou seja, a hemolinfa (fluido aquoso contendo íons, moléculas e células, com função de trocas químicas entre os tecidos dos insetos) se movimenta postero-anteriormente. O coração pulsa de maneira peristáltica, empurrando o sangue da cabeça para o abdômen.
O sangue dos insetos tem a mesma função que o dos vertebrados, mas em taxas diferentes. A função predominante é de transporte de alimento, hormônios e metabólitos, secundariamente há transporte de gases para as partes do corpo que não são providas de traquéias. Raramente esse sangue é vermelho, geralmente é amarelado ou esverdeado.

Sistema traqueal e as trocas gasosas
O oxigênio gasoso entra no corpo dos insetos através de espiráculos, passa pelas traquéias e traquéolas até atingir os tecidos, é metabolizado e deixa o corpo na forma de dióxido de carbono na direção oposta à que entrou. Esse processo é feito por difusão simples.
Os espiráculos localizam-se na lateral do corpo, de 1 a 10 pares, começando no mesotórax, metatórax, e nos primeiros sete ou oito segmentos. Alguns insetos, como os Orthoptera possuem um mecanismo que leva o ar do tórax direto ao abdômen, aumentando a eficiência do processo.
Ocorrem algumas adaptações de acordo com o modo de vida dos insetos, com em insetos aquáticos, de deserto ou parasitas. Os insetos aquáticos podem ter brânquias nas laterais do abdômen, no ânus, ou nas pernas. São providos com um a grande número de traquéias. Outros podem ter uma cobertura de pêlos que formas uma bolha de ar. Alguns insetos podem fechar seus espiráculos eviando a perda de água

O intestino, digestão e nutrição
Nos insetos há um canal alimentar dividido em três regiões: o estomodeu, o mesentero e o proctodeu:

* Estomodeu (ingestão, estoque, trituração e transporte)
Essa porção se diferencia em faringe, esôfago, papo e proventrículo. As glândulas salivares são evaginações do estomodeu. Alguns insetos secretam fluidos digestivos secretados pelas glândulas salivares para começar digestão externamente. A faringe leva a comida através de movimentos peristálticos para o papo onde é estocada. O proventrículo pode ser provido de dentes para ajudar a reduzir as partículas de comida. Pode haver absorção de comida nessa região.

* Mesentero (produção e secreção de enzimas digestivas; absorção dos produtos da digestão)
Essa região não possui diferenciações, exceto por uma estrutura de fundo cego chamada ceco. O mesentero possui células epiteliais com ou sem cutícula presente. Esses tecidos são delicados e protegidos por uma membrana que evita o contato direto com a comida. A maioria das atividades enzimáticas e absorção ocorre nessa região.

* Proctodeu (absorção de água, sais e eleminação das fezes)
Essa região é diferenciada em ileo, colon e reto. Ocorrem aí os tubulos de Malpighi. Os resíduos alimentares que passam pelo proctodeu podem ainda sofrer alguma absorção e a água é retirada.

Órgãos reprodutivos
Geralmente a reprodução é sexuada (há indivíduos de ambos os sexos), podendo haver insetos que se reproduzem por partenogênese (há apenas fêmeas), hermafroditas (ambos os sexos no mesmo indivíduo).
As gônadas localizam-se no abdômen e geralmente abrem-se na parte posterior (podem haver variações). Nas fêmeas há uma estrutura acoplada ao ovário chamada espermateca, com função de estocagem de espermas. Nos machos há ductos (vasos deferentes) que se unem e desembocam no tubo ejaculatório. Eles podem estar associados com glândulas em cada sexo.

0 comentários:

Postar um comentário

 

©Copyright 2011 Só Curiosidades | TNB